quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Extra 1 - Madrugada

Madrugada


Lucy: Ai, Mau, agora não... Eu preciso dormir!

O Mau é assim mesmo: insaciável!

Mau: Lucy-chan, eu quero discutir a relação.

Insaciável e sensível. Ele é um homem perfeito. Ele é o MEU homem perfeito. Óbvio, “meu” por ser criação minha.
Nossa relação vai muito bem, obrigada. Não é a ela que ele se referia.

Lucy: Mau, compreenda... A Maire ama a Mic.

Ele fez bico e cruzou os braços. Confesso que, em qualquer outro momento, eu me derreteria diante da cena. Mas eu realmente queria dormir. Já passava da meia-noite e, no dia seguinte, eu tinha trabalho. Ou alguém achou que eu ganhasse a vida escrevendo?

Mau: Lucy-chan, será que eu não tenho nem uma chance?

A consciência pesou. Eu não podia deixar o meu Mauzinho tristonho.

Lucy: Certo... Que tal se elas se separarem ao término da missão?
Maire: Eu não quero me separar da Mic!

Pronto! Era o que faltava! Agora eram dois atrapalhando o meu sono.

Mau: Maire! Que surpresa! Você vem sempre aqui?
Maire: Só quando a Lucy está em processo de criação. E você?
Mau: É, eu também!

É, agora meus dois filhotes embalaram num papo. Aliás, sei que, como mãe, eu não deveria ter esse tipo de preferência, mas... Esses são os meus dois filhos mais bonitos!

Mic: Que história é essa de achar a Maire bonita?

Minha cama até estalou quando ela se juntou a nós. Não que Micaela fosse gorda, mas é grande e, vamos combinar, é bem dotada de carne.

Lucy: Mic, todo mundo acha a Maire linda. Até você, que é meio cega, acha também.
Mic: Como assim eu sou meio cega?
Lucy: Não sei. Acabei de inventar. Deixa eu pegar meu caderninho, preciso anotar isso.
Mau: Lucy-chan, aproveite e anote também a separação delas duas.
Mic: Cala a boca, pusilânime!
Maire: Eu não quero me separar da Mic!
Lucy: Vocês poderiam me deixar em paz?
Mic: Só me explique por que eu me separaria da Maire?
Lucy: Porque... Como explicar? É muita pressão, sabe?
Mic: Não sinto pressão alguma.
Lucy: Como não? Sua mãe te odeia e seu pai morreu brigado contigo.
Mic: Meu pai morreu? Quando?
Lucy: Ih, tem alguns anos já.
Mic: Por que eu não sabia disso?
Lucy: Porque eu acabei de criar. Cadê meu caderno, preciso anotar essas coisas...

Novamente, a cama estalou. Quem seria agora?

Eric: Lucynha, Lucynha, já que está criando, crie uma banda pra mim?
Lucy: Você já tem uma banda, Eric!
Eric: Mas ela está na América. Quero uma no Japão também.
Lucy: Tem que se concentrar em matar youkais, não em tocar. O máximo que posso fazer é uma cena musical.
Anne: Eu posso cantar?
Shermmie: Nem pense nisso, escritora! A Fraquinha canta terrivelmente mal.
Sniper: Você canta mal?
Shermmie: Eu não! A fraquinha da ANNE!
Lucy: Vocês também?
Ryan: Lucy-san, a sua cama vai acabar quebrando.
Lucy: Não me diga, Ryan...
Live: O que acontece é que são todos uns intrometidos. Deviam deixar a escritora em paz!
Lucy: Obrigada Liv... LIVE? O que está fazendo aqui? Crianças têm que ir cedo para a cama.
Live: Eu não sou criança! E já estou na cama.
Lucy: Não a minha, a sua! Aliás, todos vocês, deviam me deixar um pouco em paz. Ficam me perseguindo dia e noite.
Hayato: Por falar em perseguir... Alguém viu a Sofie?

Ótimo! Um, dois, três, quatro... Dez. Estão quase todos aqui, unidos no único propósito de não me deixarem dormir. A culpa é minha, assumo! Fui eu que os criei e permiti que passassem a fazer parte da minha vida... A seguirem meus passos, a me perseguirem durante vinte e quatro horas por dia. Eles me distraem em dias de prova de faculdade ou enquanto tento escutar as lamúrias de clientes no estágio... E durante as aulas, então? Enquanto se discute a constitucionalidade de certa lei, eu me perco em devaneios sobre o que o Kuro vai aprontar...
Ops... Eu disse “Kuro”?

Kuro: Lucy-sama? Tenho um pedido a fazer!

Cena típica de filme de terror, eu encontrar um youkai na minha cama... Só que ele mexia os dedinhos e me olhava com cara de criança que vai pedir: “mamãe, compre um chocolate pra mim!”

Lucy: O que você quer, Kuro-chan?
Kuro: Dominar o mundo dos humanos!
Anne: Socorrooooo!!!

A Anne deu um pulo, indo se esconder atrás de Ryan. Os demais encararam Kuro, revoltados.

Mic: Um youkai!
Mau: Pega ele!

E meu quarto mais parecia uma boate, com tantas luzes coloridas que foram disparadas na tentativa de atingirem Kuro. Ele, youkai mais esperto da mamãe, deu um jeito de desaparecer. Que bom! Era menos um na minha cama.
Até que eu senti um solavanco. Como se alguém estivesse... Pulando?

Hikari: Festaaaaaa!! U-hu!!! Balada, balada! Tum-ti tum-ti tum-ti tum-ti...

Sabia que estava faltando alguém... Agora acho que já estão todos aqui. Ah, não, falta o... Hunf, não falta ninguém. Acabo de olhar para a ponta da cama e avistei Qiang, sentado, com os braços cruzados, mostrando-se totalmente indiferente a tudo... Só pra variar. Há quanto tempo ele deve estar aí?
Eu só quero dormir, como uma pessoa normal! Mas isso seria impossível. Não sou uma pessoa normal, sou escritora! Estou destinada a viver sendo eternamente assombrada por fantasmas que eu mesma crio!
Ops... Que poético isso! Acho que vou anotar. Onde está meu caderninh...

Lucy: Eric! Pára de rabiscar o meu caderninho! Hikari, pare de pular, isso não é uma balada! Anne, para de chorar! Ryan, essa mancha na parede não sai, desista! Micaela, não ouse re-configurar o meu computador! Maire, não mexa nos meus cremes. Live, esse chocolate é meu! Shermmie, pára de bater no Mau. Aceite: ele nunca vai acertar o seu nome. Sniper, saia dessa janela. Se atirar nos meus cachorros, eu mato você! E sabe que eu tenho esse poder! Hayato, pare de olhar ao redor, a Sofie não está por aqui! E, Qiang... Continue indiferente.

Eu falava em vão. Eles haviam tomado conta de tudo. Como já citou um funkeiro: “tá dominado. Tá tudo dominado” (Na falta de citação melhor...). Até que a porta se abriu. Senti-me feliz por ver Sofie adentrar o ambiente.

Sofie: O que estão fazendo aqui? Têm que dormir, esqueceram que amanhã é dia de treino?

Todos resmungaram (com exceção de Hayato, que pareceu muito feliz por ver sua amada. E de Qiang, que permaneceu indiferente). E, finalmente, foram embora.
Enfim! Silêncio! Paz e tranqüilidade!
Finalmente, pude me ajeitar na cama e relaxar. Como aquilo era bom! Enfim, iria parar de pensar em Guardiões e poderia pegar no sono. Amanhã será um dia puxado... Muito trabalho, inúmeros problemas para resolver... Vida normal! À noite, se desse tempo, eu iria esquecer um pouco de Guardians e me ocupar em revisar uma outra história minha. Outros personagens, outra atmosfera... Aquilo seria bom para me “desintoxicar” um pouco de Guardians.
Ah, deixem-me falar sobre esse outro livro! Chama-se “Kuroi Crystal”, e o protagonista é um garoto de dezesseis anos, que...
...Que estalo foi esse na minha cama?

Yuuhi: Hei! Lucy?
Lucy: Yuuhi? O que está fazendo aqui?
Yuuhi: Eu quero discutir a relação.

...Aquela seria uma longa noite.

---------------------------
Próximo extra: Jogo da verdade.

Preparem-se para revelações bombásticas!

E você? Está lutando por quem? =P

-----------------------------

Originalmente postado em 30 de abril de 2008

4 comentários:

Karina Tiemi disse...

Huahuhauahuahau
Adorei!!!!
Principalmente a aparição do Yuuhi! hahahaha
Muito criativo!!
Mas é assim mesmo né? Quando vc se distraí um segundo, já está pensando neles de novo! rsrsrs

Beijosss

(Comentário originalmente postado em 21/07/2008

Anônimo disse...

Adorei no começo não entendi direito, mas amei mesmo *-*

Tip Cullen

Ana Carolina Nonato disse...

Hahahaha, Lu, amei *-*'

#Team Ryan \o

Natallie disse...

kkkkkkkkkkkkk
Adorei!!!!!!!!!