segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Resenha - Tocada


Livro: Tocada
Autora: Juliana Giacobelli
Editora: Lexia

Sinopse:
E se anjos existissem? E se quisessem tanto estar com um humano que conseguissem cair por ele? E se ao fizerem isso estivessem despertando uma arma poderosa capaz de abrir os mundos entre anjos, humanos e caídos? Alexandra sabia que havia alguma coisa errada com aquele homem. Talvez fosse o azul elétrico dos olhos, talvez as feições inocentes, talvez a dor que ele sentia ao tocá-la, talvez a necessidade quase gritante que ela tinha de ficar perto dele. O que ela não sabia era que, sem querer, acabaria sendo transformada em uma arma poderosa, capaz de causar uma guerra celestial de proporções mundiais. Acompanhada por um anjo encantador e outro nem tanto assim, Alex precisa ser protegida a todo custo para impedir que a Terra seja invadida pelos Caídos – anjos banidos do céu – e assim evitar a tal temida guerra. Enquanto tenta não ser pega, ela ainda precisa ir à faculdade, agüentar um irmãozinho pentelho, um pai um pouco desconfiado demais e, claro, conviver com o grande responsável por isso tudo: O anjo que conquistou seu coração e de quem ela não está disposta a abrir mão.

Recebi de Book Tour o livro Tocada, da autora Juliana Giacobelli, e devo começar dizendo que o livro me surpreendeu de forma bastante positiva.

Sempre amei histórias de anjos (inclusive já escrevi algumas, antes de virar moda rs), mas o fato deste ter virado o novo “tema do momento” na literatura me faz torcer um pouco o nariz para sinopses do assunto. Confesso que quando entrei no Book Tour de tocada foi com o mero intuito de dar uma força pra uma autora colega de editora, nem sabia do que se tratava o livro. Quando o recebi e li a sinopse, meu desânimo foi automático.

Então, como disse no início, veio a surpresa positiva: Tocada não é só mais um livro-modinha. É um super livro, com uma história envolvente e muito bem amarrada, que prende o leitor da primeira à última página. Foi uma deliciosa surpresa!

Alexandra Stavros é uma jovem universitária, filha de um grego e uma brasileira fascinada por tudo o que diz respeito à Grécia (fascínio este explícito nos nomes dos filhos: Alexandra e Apollo, e até mesmo do cachorro da família: Sócrates). Era apenas um dia aparentemente normal quando, após a aula, Alexandra escutou um forte barulho vindo do estacionamento da faculdade e, por qualquer razão que nem ela própria compreende, vê-se sendo atraída para o local. Chegando lá, surpreende-se ao encontrar um rapaz caído, ferido e aparentemente sem memórias.

E então... Bem, e então não vou ficar contando, senão caio no pecado mortal dos spoilers rs.

O livro é narrado em primeira pessoa, ora pela Alexandra, ora por... Não, não é pelo Eros (o rapaz do estacionamento, par romântico da protagonista. Ela escolhe esse nome para ele por razões gregas óbvias). Este foi um ponto em que a Juliana inovou, colocando como co-protagonista uma figura masculina que não é o par romântico da mocinha. Esse é Gael, outro sujeito misterioso que surge na história, vindo logo a ganhar destaque... Sim, mais do que o mocinho! rs Ele acaba se tornando um protetor de Alexandra, sem absolutamente nenhuma intenção romântica de nenhuma das partes. Achei isso fabuloso (e lindo! Sim, porque eu ainda acredito em amizade pura entre homens e mulheres rs)

E falando dos personagens... Ah, os personagens! Adoro personagens bem construídos, com história, passado, traumas, qualidades e defeitos. E assim são os de Tocada. Dou destaque para o Gael, um ser arrogante, antipático, sarcástico, mal humorado, e... Fofo! rs Porque toda vez que ele deixa transparecer qualquer atitude mais simpática, preocupada ou educada, torna as cenas por vezes hilárias, e sempre, sempre muito fofas. Para quem leu Guardians, acho que ele é quase uma versão masculina e angelical da Mic rs

Citando os pontos negativos: talvez seja uma distração minha, mas fiquei um pouco confusa de início com a troca dos narradores. Outra coisa que me incomodou um bocado foi os erros de grafia, faltou um pouco mais de atenção do revisor. Porém, não chegam a ser aqueles erros que “doem”, são falhas de digitação, coisa que é facilmente compensada com um bom enredo.

Agora um ponto positivo para a história, mas muito negativo para leitores ansiosos (como eu), é que o livro simplesmente acaba num momento crítico, deixando-nos em desespero pelo próximo volume. Será uma trilogia, e eu já comecei a pentelhar muito a Juliana para lançar logo o segundo livro, pelo bem das minhas unhas!

Super-recomendo! =)




6 comentários:

Juliana disse...

Apareci \o/
Awwwwww, adorei sua resenha *-* Confesso que fiquei meio com medinho quando comecei a ler, mas UFA, que bom que gostou hahahaha

Eu considero a história em si bem diferente dos livros da modinha - também odeio, quando comecei a escrever não tinha nada disso. Fiquei arrasada quando saiu Hush Hush ;_; hahahaha - e que bom que você percebeeeeu *-*

Enfim, adorei a resenha, Lu, muito obrigada por todo o apoio!!! :D

Beijooo! =***

Luana Farias disse...

Nossa que legal eu ainda não li nenhum de anjo uma pena mas um dia ainda leio. E que capa linda ne?

Bjs

Rafaela Rocha disse...

Eu A-DO-RO anjos!

Aposto que ia amar esse livro *_*

ótima resenha Lucy

Beijos
www.escapismo.xpg.com.br

Mireliinha disse...

AWN Tocada é gamante não é Lu?
É um livro super especial s2

e Gael, aaaaah Gael! *suspiros* haha
Mas também gostei do Eros <3 rs.

Ótima resenha, Lu!

:*
Mi
Inteiramente Diva

Paola Scorpio disse...

Putz, como eu tô por fora! Acreditas que nem sabia sobre essa modinha de livros de anjos? Da última vez que conferi alguma coisa, via só livros de vampiros (é, faz tempo que nem entro na livraria).

Bem, gostei da resenha. E, se os erros são típicos erros de digitação, realmente não deve ser tão ruim assim. No mínimo, não tão ruim quanto pegar um livro estrangeiro traduzido e publicado por uma grande editora (como a Rocco) e encontrar erros grosseiros no mesmo (aconteceu isso com Alléxandros. Eles compraram pos direitos de um best-seller internacional e não se deram ao trabalho de entregar a tradução para um revisor, pode?). Logo...

Ai, mas ainda tenho que comprar Cbantilly e tenho muita coisa pra ler esse ano, então, deixo esse para uma próxima. ;)

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Gostei muito da resenha! Tudo o que tem anjos no meio eu adoro, hehehe, mas neste caso a sinopse me interessou muito também. bjinhos.